quarta-feira, 21 de julho de 2010

História de uma Fada


"Era uma vez uma Fada.
Ela sempre foi alegre. Sua magia era encantar pessoas devolvendo-as o brilho no olhar. Essa magia continha risos, brincadeiras, jeitos infantis e atrapalhados, trejeitos encantadores e uma meiguice que aprendeu com suas irmãs...

Ela sempre foi de se apaixonar pelas pessoas. Sempre também se enganou com as pessoas.

Numa tarde ensolarada ela encontrou um humano.
Os olhares se encontraram. Ela viu no Rapaz alguém que poderia entregar seu encanto. Apaixonaram-se.

Porém o Rapaz não conhecia de encantos e magias, ele desacreditou que a Fada poderia salvá-lo.
Ela o amava. Deixou seus poderes de lado por muito tempo para sentir esse sentimento tão puro que vêm dos humanos.
Deixou pais, familiares e amigos, pensando que ainda restava uma chance de ser feliz.

As fadas têm um brilho diferente, um brilho que só as fadas conseguem mostrar. Mas para esse brilho se manter vivo elas precisam sempre exercitar seus poderes, se não o fizer podem perder seus encantos e magias.

A Fada começou a perceber que seu brilho estava se apagando. Ela já não conseguia encantar as pessoas, ela já passava despercebida entre as fadas.
Decidiu que nunca deixaria de ser Fada... e o que ela deixaria era o Rapaz.
Deixou o Rapaz.

Precisou de suas amigas fadas e amigos gnomos para recuperar seus poderes e aos poucos foi se fortalecendo.
Durante esse tempo ela achou que não encantava mais ninguém. Que seu brilho tinha se apagado e que já não poderia mais fazer feitiços para as pessoas que chegassem perto dela. Ela tinha medo de tentar e falhar. Estava insegura. O Rapaz tinha deixado marcas feias em seu jeito gracioso.

Mas como tudo na vida é encantamento de alguém, cada passo que damos é autorizado pelas Senhoras Fadas, um Forasteiro apareceu para a Fada.
Ele a olhou e puxando-a para seu lado, e a ensinou dançar de um jeito diferente.
Ela relutou, ainda buscava suas magias.

Então um beijo aconteceu entre a Fada e o Forasteiro.

Passaram a se ver com freqüência, e o Forasteiro foi mostrando-a que seus poderes ainda estavam dentro dela. Ele falava coisas lindas... palavras que se encaixavam perfeitamente para uma fada.
Ela se entregou a esse Forasteiro, acreditou que encantos não vinham somente do reino encantado.
A magia tomou conta dos dois e do coração da pequena Fada.

Pequena, assim era chamada pelo Forasteiro.

Mas como um bom Forasteiro que era, precisou partir. Deixou na Fada uma saudade aguniante.
Através da tecnologia eles se falavam sempre, com cantorias de lindas músicas.
Ele era ocupado, não podia oferecer todo o seu tempo para a Fada, mas os agrados eram sempre feitos.

A Fada já havia sido tomada por um sentimento imperfeito. Ela já havia se entregado a uma paixão não antes vivida. Essa paixão deixou a Fada insegura fazendo que ela tomasse atitudes impensadas e inconseqüentes.
Por muitas vezes o Forasteiro relevou. Acredito que ele gostava especialmente dessa Fada.
Mas a Fada não acreditou nisso. Preferiu acreditar nas bruxinhas que estavam em seus pensamentos.

Eis que numa última conversa a Fada tudo perdeu. Perdeu sua razão, perdeu esse sentimento, tudo que o Forasteiro podia lhe trazer de bom.

Agora longe desse Forasteiro ela voltou a ser uma Fada, como todas as outras.
Voltou ao reino encantado. Voltou a se dedicar as suas magias e feitiços.
Mas nesse coraçãozinho ficaram lembranças tão boas que ainda a fazem sorrir apaixonadamente sem que o Forasteiro saiba."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

Tânia Vaz disse...

Nossa!! fikei emocionada....
linda história.... me lembra
alguem... sei la... srsrrsrss
essa fadinha merece ser mto feliz.....^^

Tiago disse...

A fada sempre alegra e ilumina os ambientes que ela se faz presente
E pq será q vc se parece com uma fada né?
Bjo Mi

Bruma Artio disse...

Muito bonita sua história, você escreve com encanto e magia, parabéns! E seu blog está muito bonito também.
Vou postar para você no Oráculo em breve linda.
Um suave bater de asas.