terça-feira, 18 de maio de 2010

A noite vai passar VAPT-VUPT



"Uiii... me bateu uma saudade agora. Durma com Deus, sonhe com os anjos que a noite vai passar VAPT-VUPT. Lembra? "


Lendo essa mensagem que acabava de chegar, senti minha garganta apertando...

Lembranças me veio na memória...lembranças da minha infância...
Eu e minha irmã...as duas pequeninas....

De repente voltei a quase dezessete anos...

Estavámos eu e minha irmã deitadas numa cama. Estávamos na casa da minha Tia...
Não me lembro qual era o motivo, mas naquela noite não dormia em casa e, também não poderia.
Lembro-me que estávamos deitadas...abraçadas...sempre dormíamos abraçadas...não tinha uma noite que não nos abraçávamos para dormir e, assim permanecíamos. Silenciosamente uma olhava para outra, soluçávamos, queríamos nossa mãe.
Afinal de contas, para uma criança de seis anos era dolorido passar uma noite sem sua mãe, sendo que tal escolha não era sua, foram forçadas a estar numa casa que não era sua.
E tinham ainda que dormir sem ouvir a doce e suave voz de sua mãe:- Durmam com Deus!!!
- Amém!!!!!! - Dizíamos.
Isso era um quase um ritual. Todos os monstros, medo, arrepios, ao ouvir essas palavras iam embora... como anjos, descansávamos a noite toda...
E estávamos lá, sem essas palavras tão ternas...
Minha Tia já havia chamado nossa atenção algumas vezes para parar com o choro, mas não conseguíamos...era mais forte...o medo, talvez...a solidão...ou a falta que nos fazia nossa mãe, casa, cama...
Minha irmã me olhou e
, nunca vou me esquecer, disse:- Dorme com Deus! Sonha com os anjos! Que a noite vai passar VAPT-VUPT!
- Dorme com Deus! Sonha com os anjos! Que a noite vai passar VAPT-VUPT! - Repeti suas palavras...nos abraçamos mais forte... e dormimos!

Voltei em mim, ainda olhando para a mensagem e, agora uma lágrima corria.
Minha irmã tinha se mudado para outra cidade já havia alguns meses. Quanta falta ela me fazia.
Desde seu riso até seu grito enfurecido...Nossas brigas rotineiras...Nossas conversas...
Receber aquela mensagem inesperada me fez pensar: "Onde aquela menina se perdeu? Onde aquela menininha ficou? Ela ainda está dentro de mim?"
Olhei para o lado, na sala gelada ele me esperava no sofá. Estávamos quase cochilando.
Ele de repente se tornou um desconhecido, um desconhecido para aquela menininha.
-O que houve? Tá triste?
-Acabei de receber uma mensagem da minha irmã!
-Hum! - Foi sua única palavra. Ou tentativa de uma.

Me deitei novamente nos seus braços ainda tentando lembrar de como fui e, o que me tornei.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

Tiago disse...

E como é bom qdo algumas coisas em nossas vidas passam Vapt e Vupt não é?
Bjo querida
Amo sempre

Dany disse...

Muito Lindo e verdadeiro, Como a vida passa Vapt Vupt, mal percebi e já fazem 20 anos que cresci e minha irmã não pode estar comigo sinto tanta sua falta Mila.....Te amo